Pesquisar este blog

Seguidores

sábado, 28 de abril de 2012

O Que é o Espiritismo Para KARDEC?


O Que é o Espiritismo Para KARDEC?


"...o Espiritismo se fundamenta em princípios gerais independentes de toda questão dogmática. É verdade que ele tem conseqüências morais, como todas as ciências filósóficas. Suas conseqüências são no sentido do cristianismo, porque é este, de todas as doutrinas, a mais esclarecida, a mais pura, razão por que, de todas as seitas religiosas do mundo, são as cristãs as mais aptas a compreendê-lo em sua verdadeira essência.


O Espiritismo não é pois uma religião. Do contrário teria seu culto, seus templos, seus ministros. Sem dúvida cada um pode transformar suas opiniões numa religião, interpretar à vontade as religiões conhecidas; mas daí à constituição de uma nova igreja há uma grande distância e penso que seria imprudente seguir tal idéia. Em resumo, o Espiritismo ocupa-se da observação dos fatos e não das particularidades desta ou daquela crença; da pesquisa das causas, da explicação que os fatos podem dar nos fenômenso conhecidos, tanto na ordem moral quanto na ordem física, e não impõe nenhum culto aos seus partidários,..."

(da Revista Espírita - Volume 2 - 1859 - Refutação de um artigo de "L'Univers")


Realmente senhor abade... ( ) ...o Espiritismo está fora de todas as crenças dogmáticas, com o que não se preocupa; nós o consideramos uma ciência filósofica, que nos explica uma porção de coisas que não compreendemos e, por isto mesmo, em vez de abafar as idéias religiosas, como certas filosófias, fá-las brotar naqueles em que elas não existem. Se, entretanto, o quiserdes elevar a todo o custo ao plano de uma religião, vós o atirais num caminho novo. É o que compreendem perfeitamente muitos eclesiásticos que, longe de empurrar para o cisma, esforçam-se por conciliar as coisas, em virtude deste racicínio: (...)


Se eu tivesse a honra de ser sarcedote, disto me serviria em favor da religião; dela faria uma arma contra a incredulidade e diria aos materialistas e ateus: Pedi provas? Ei-las: e é Deus quem as manda.


(da Revista Espírita - Volume 2 - 1859 - Resposta a réplica do abade Chesnel em "L'Univers")

O Espiritismo é ao mesmo tempo uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática, ele consiste nas relações que se podem estabelecer com os Espíritos; como filosofia, ele compreende todas as conseqüências morais que decorrem dessas relações.

Pode-se defini-lo assim:


O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, da origem e da destinação dos Espíritos, e das suas relações com o mundo corporal.


O que é o Espiritismo - Preâmbulo (1859)


O Espiritismo prova e faz ver o que a religião ensina pela teoria.

O Espiritismo é, antes de tudo, uma ciência e não se ocupa das questões dogmáticas. Essa ciência tem conseqüências morais, como todas as ciências filosóficas. (...)...O Espiritismo está portanto na própria Natureza...
..Seu verdadeiro caráter é, portanto, o de uma ciência e não o de uma religião. (...) Repousa então sobre princípios independente de toda e qualquer questão dogmática. Suas conseqüências morais estão na linha do Cristianismo, pois este é, de todas as doutrinas, a mais esclarecida e a mais pura, e é por essa razão que, de todas as seitas religiosas do mundo, os cristãos são os mais aptos a compreendê-lo em sua verdadeira essência.O que é o Espiritismo - Terceiro diálogo: O padre (1859)

O Espiritsmo independe de qualquer forma de culto, não aconselhando nenhum e não se preocupando com dogmas particulares, não constitui uma religião especial, pois não possui nem sacerdotes nem templos. Aos que lhe perguntam se fazem bem em seguir tal ou tal prática, apenas responde; "Se sua consciência aprova o que você faz, faça-o: Deus sempre considera a intenção". Numa palavra, o Espiritismo nada impõe a ninguém. Não se destina aos que tem fé, e a quem esta fé é suficiente, mas à numerosa classe de inseguros e dos incrédulos. Não os afasta da Igreja, porquanto ja estão dela moralmente afastados, de modo total ou parcial, mas os leva a fazer três quartos do caminho para nela entrarem; cabe à Igreja fazer o resto.
(...)

...Um venerável eclesiastíco dizia a esse respeito: "O Espiritismo faz crer em algo; ora, é melhor crer em alguma coisa do que não ter crença nenhuma".
O Espiritismo em sua mais simples Expressão. (1862)

"Se a religião, apropriada em começo aos conhecimentos limitados do homem, tivesse acompanhado sempre o movimento progressivo do Espírito humano, não haveria incrédulos, porque está na própria natureza do homem a necessidade de crer, e ele crerá desde que se lhe dê o pábulo espiritual de harmonia com as suas necessidades intelectuais"(do livro "O Ceu e o Inferno" - Allan Kardec, capítulo I) (1865).
Se assim é, perguntarão, então o Espiritismo é uma religião? Ora, sim, sem duvida, senhores. No sentido filosófico, o Espiritismo é uma religião, e nós nos glorificamos por isto, porque é a doutrina que funda os elos da fraternidade e da comunhão de pensamentos, não sobre uma simples convenção, mas sobre bases mais sólidas: as mesmas leis da natureza.


Por que, então, declaramos que o Espiritismo não é uma religião? Porque não há uma palavra para exprimir duas idéias diferentes, e porque, na opinião geral, a palavra religião é inseparável da de culto; desperta exclusivamente uma idéia de forma, que o Espiritismo não tem. Se o Espiritismo se dissesse uma religião, o público não veria aí senão uma nova edição, uma variante, si se quiser, dos princípios absolutos em matéria de fé; uma casta sacerdotal com seu cortejo de hierarquias, de cerimônias e de privilégios; não o separaria das idéias de misticismo e dos abusos contra os quais tantas vezes se levantou a opinião pública.


Não tendo o Espiritismo nenhum dos caracteres de uma religião, na acepção usual do vocábulo, não podia nem devia enfeitar-se com um titulo sobre cujo valor inevitavelmente se teria equivocado. Eis porque simplesmente se diz: doutrina filosófica e moral.

As reuniões espíritas podem, pois, ser feitas religiosamente, isto é, com o recolhimento e o respeito que comporta a natureza grave dos assuntos de que se ocupa. Pode-se mesmo, na ocasião, aí fazer preces que, em vez de serem ditas em particular, são ditas em comum, sem que por isto as tomem por “assembléias religiosas”. Não se pense que isto seja um jogo de palavras; a nuança é perfeitamente clara, e a aparente confusão é devida à falta de um vocábulo para cada idéia.(Discurso pronunciado na Sociedade Espírita de Paris em 01/11/1868 - Revista Espírita).
"Ele não apresenta nenhuma característica de uma religião na acepção usual do vocabulário; não podia nem devia enfeitar-se com um título sobre cujo valor inevitavelmente se teria equivocado. Eis porque simplesmente se diz: doutrina filosófica e moral"(da Revista Espírita - Volume 12 - 1868).

"O Espiritismo foi chamado a desempenhar uma papel imenso na Terra। Reformará a legislação tantas vezes contrárias às leis divinas; retificará os erros da História; restaurará a religião do Cristo ... Instituirá a verdadeira religião, a religião natural, a que parte do coração e vai direto a Deus"(do livro "Obras Póstumas" de Allan Kardec, página 299 - edição FEB).

"O Espiritismo é uma doutrina filosófica de efeitos religiosos ... Não é uma religião constituida, visto que não tem culto, nem rito, nem templos e que entre seus adeptos, nenhum recebeu o título de sacerdote ..."
(do livro "Obras Póstumas" - página 260 - Edição FEB).


Fácil perceber que Ele toca num ponto de vital importância, que é o caráter universal da Doutrina. Para ser universal ela realmente, no meu entender, tem que estar acima dos adjetivos religiosos.

Até porque os homens não precisão de mais religião e sim de mais moral.

Reações:

0 comentários:

O LADO OBSCURO DO ESPIRITISMO # SEGUIDORES DE CHICO XAVIER